segunda-feira, 19 de outubro de 2015

DINDINS DE AMENDOIM


Torrei meio quilo de amendoim, no forno, a 180 graus, por oito minutos. Esperei esfriar, esfreguei para soltar as casquinhas e fui para a área externa para ficar mais fácil me livrar delas. Coloquei os amendoins numa peneira e, enquanto os jogava levemente para cima, o vento se encarregava de levar as indesejadas casquinhas.... Os amendoins ficaram limpinhos. Coloquei-os no copo do liquidificador e reservei...
Numa panelinha, coloquei dois copos de leite e três colheres (sopa) de maisena, bem dissolvida nesse leite. Liguei o fogo e mexi o tempo todo para não empelotar. Assim que endureceu, mexi mais um pouquinho e acrescentei mais um copo de leite antes de desligar o fogo. Despejei o conteúdo no liquidificador. E deixei bater por três minutos.
Com a ajuda de uma jarra, acrescentei, aos poucos, mais um litro de leite (fui misturando e dividindo o líquido entre o copo do liquidificador e a jarra); o conteúdo de uma lata de leite condensado e três xícaras (chá) de açúcar. E deixei bater mais para dissolver o açúcar. Ficou pronto o conteúdo delicioso dos saquinhos que abri, enchi (com a ajuda de um funil) e amarrei, antes de pôr no freezer. Deu 33 dindins.

O bom é que nem todos gostam de amendoins... Só uma norinha que é fã...
Em 84, já no início do mês de dezembro, nas minhas atribulações entre trabalho e casa, já morando na chácara, subia pela estrada e via, a minha direita, uma plantação com folhas de um verde-claro diferente dos cultivares que conhecia; mais intenso e bem brilhante... Quando voltava, observava aquele tapete maravilhoso, à esquerda, e ficava encucada, tentando adivinhar o que estava crescendo ali...
No dia que me lembrei de perguntar, ouvi que era surpresa.
Já de férias, teve um dia que meu pai me pediu para levá-lo de carro até a porteira (naquele tempo, tinha uma porteira na entrada da chácara) e eu fui e tive mesmo a minha surpresa que foi enorme:
- Você não disse que tinha muita vontade de ver uma plantação de amendoins? Pois taí!
Que coisa linda! A natureza é a mãe da criatividade! Aqueles pequenos arbustos carregadinhos daquelas caixinhas (muito metidas a besta!) bem torneadinhas me deixaram impactada!
Pois meu pai, com a ajuda de um peão, deu-se ao trabalho de cultivar uma roça de um alqueire de pés de amendoim, para me ver ter aquele momento sublime.
Pena que não fotografei!
Mas busquei uma foto no Google (https://www.google.com.br/search?q=planta=plantacao+de+amendoim) e posto aqui para ilustrar.

Essa pessoa boníssima e feliz - que Deus me presenteou como pai -, sabe que o segredo da felicidade consiste em doar-se... Foi o que fez ao longo da sua vida que está perto de marcar 90 anos. Confessou-me que se sentiu muito gratificado vendo a minha alegria. E os olhinhos do meu pai brilharam quando me disse:
- Meu pai também plantou um punhadinho de pés de amendoim pra mim, quando eu era pequeno! A terrinha dele era só um pedacinho; não dava mesmo pra plantar muito...


NOVIDADE:

Minha mais nova ferramenta para encher saquinho de dindin. Finalmente! Uma maravilha! Agora, meu trabalho de avó paparicadora de netos devoradores de dindin ficou mais fácil.